25 ª Semana Mundial de Amamentação é lançada no Paraná

O Paraná sediou o lançamento nacional da 25ª Semana Mundial de Amamentação. O evento aconteceu no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. O objetivo da comemoração é intensificar as ações de incentivo ao aleitamento materno. A programação também incluiu palestras e debates acerca do tema.

Para integrar a rotina materna e a amamentação, o Paraná desenvolve a estratégia nacional Mulher Trabalhadora que Amamenta. A política pública incentiva que empresas garantam a licença-maternidade de seis meses; dêem acesso a creches e vale-creches; e, principalmente, implementem salas de apoio à amamentação.

“Incentivamos cada vez mais empresas a organizarem locais adequados onde a mulher, quando retorna da licença-maternidade, possa retirar e armazenar o leite. O Paraná é o estado do Sul que mais têm salas de apoio à amamentação. São 15 espaços certificados e damos apoio para que esse número aumente cada vez mais”, ressalta o secretário de Estado da Saúde em exercício, Sezifredo Paz.

Dez salas foram certificadas no evento desta sexta-feira (04): Copel Distribuição (Londrina); Copel Distribuição Atuba (Curitiba); Copel Santa Quitéria (Curitiba); Copel GET Padre Agostinho (Curitiba); Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe/Curitiba); Hospital e Maternidade Nossa Senhora Aparecida (Fazenda Rio Grande); Mondelez (Curitiba); Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; Hospital Nossa Senhora do Rocio (Campo Largo); e Hospital do Trabalhador (Curitiba).

De acordo com a enfermeira da Superintendência da Atenção à Saúde, Cibele da Luz, empresas que aderem a esta iniciativa tendem a ter menos problemas com a ausência de funcionárias para tratar de problemas de saúde dos filhos, uma vez que as crianças amamentadas no peito adoecem menos.

Doação de leite materno

A servidora da Secretaria de Estado da Saúde, Juliana Cequinel, utiliza a Sala de Apoio da instituição para extração do leite diariamente. O leite é oferecido à filha de um ano e dois meses e o excedente é doado a bancos de leite para distribuição a recém-nascidos prematuros. No Paraná são 10 bancos em nove cidades do Estado e 14 postos.

“Se há leite é importante que seja feita essa doação para ajudar outros bebês que estão precisando desse alimento. E ter um espaço apropriado para isso é um grande incentivo. Leite materno é amor na forma líquida”, fala Juliana.

Para se tornar doadora a mulher deve ter excesso de leite, ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a extrair o leite que sobra. Também é possível contribuir com este trabalho doando frascos vazios para o armazenamento do leite. Os frascos devem ser de vidro com tampa de plástico.
Confira os locais para doação do leite ou dos frascos no Paraná.

Colaboração AEN

Comentários