Índice Firjan aponta CM como a 7ª melhor cidade do PR para se viver, Ubiratã aparece em 5º na região da Comcam

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) apontou Campo Mourão como a sétima melhor cidade para se viver no Paraná. O município possui um indicador de 0,8555, o que é considerado “alto desenvolvimento”. Na região da Comcam o município lidera o ranking e está ainda em 55º lugar na média nacional. Os dados são relativos a 2016.

Criado em 2008 para monitorar o desenvolvimento socioeconômico dos municípios brasileiros, o índice analisa três vertentes fundamentais ao desenvolvimento humano: Educação, Saúde e Emprego e Renda. Cada um deles recebe uma espécie de nota que contribui para o resultado geral e final da cidade.

Campo Mourão, por exemplo, recebeu as seguintes notas pelas três vertentes: 0,8695; 0,9580 e 0,7391 (educação, saúde e emprego & renda, respectivamente), o que a fez a assumir o posto entre os 10 municípios com os melhores indicadores do Paraná.

Desde o início do IFDM, que tem doze edições, Campo Mourão apresentou “alto desenvolvimento” em 11 delas (nota acima de 0,8, a nota máxima é 1,0) e um “desenvolvimento moderado”, em 2006. No Paraná as 10 melhores cidades eleitas para se viver são: Apucarana (1º); Toledo (2º); Paranavaí (3º); Pato Branco (4º); Maringá (5º); Jandaia do Sul (6º); Campo Mourão (7º); Medianeira (8º); Curitiba (9º); e Francisco Beltrão (10º).

 

O estudo apontou também que 23 dos 25 municípios da Comcam, apresentam “desenvolvimento moderado”. Corumbataí do Sul foi a única cidade que teve desenvolvimento regular. Na região o ranking ficou da seguinte forma: 1º Campo Mourão (7º no ranking estadual); 2º Peabiru (62); 3º Boa Esperança (67); 4º Terra Boa (76); Ubiratã (114); 6º Juranda (134); 7º Farol (148); 8º Mamborê (153); 9º Janiópolis (193); 10º Moreira Sales (196); 11º Luiziana (199); 12º Iretama (221); 13º Goioerê (224); 14º Altamira do Paraná (241); 15º Quarto Centenário (248); 16º Quinta do Sol (269); 17º Araruna (275); 18º Roncador (298); 19º Campina da Lagoa (311); 20º Nova Cantu (334); 21º Engenheiro Beltrão (344); 22º Fênix (352); 23º Barbosa Ferraz (359); 24º Rancho Alegre do Oeste (387); e 25º Corumbataí do Sul (393).

Metodologia

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal varia de 0 a 1: quanto mais próximo de 1, melhor é o desenvolvimento da cidade. A nota é calculada segundo a análise de três conjuntos de indicadores e tem por base indicadores oficiais do governo federal.

Em Emprego e Renda, o índice leva em conta o quanto a cidade gera de empregos formais, sua capacidade de absorver a mão de obra local, quanto de renda formal é gerada, os salários médios e a desigualdade social.

Já em Educação, a Firjan analisa o número de matrículas na educação infantil, a proporção de estudantes que abandonam o ensino fundamental, além da distorção idade-série, o número de professores com ensino superior, a média de aulas diárias e o resultado do Ideb no ensino fundamental.

O índice Saúde é calculado, por sua vez, com base no número de consultas pré-natal, óbitos por causas mal definidas, óbitos infantis por causas evitáveis e número de internações sensíveis à atenção básica (ISAB).

Fonte: FIRJAN

Comentários