Cotidiano 

Facções criminosas monitoravam com câmera ações do Posto da PRF na região de fronteira

Facções criminosas que atuavam na região de fronteira do Paraná se utilizavam de câmeras para monitorar as ações do Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Céu Azul.

A câmera instalada a 600 metros do posto da Polícia Rodoviária Federal de Céu Azul em meio a mata fechada – por grupos criminosos – era para fiscalizar as atuações das equipes nas BR 277, a principal rodovia que leva de Foz do Iguaçu a Paranaguá com extensão de 730 quilômetros cortando o Paraná de uma ponta outra.

Os criminosos tinham acesso a toda movimentação do posto e ao redor dele 24 horas por dia. Além do acesso via celular e computador, os criminosos monitoravam as ações via aparelhos televisores instalados nas residências. O equipamento tem alto valor de mercado.


O que chama atenção é a qualidade do equipamento, que foi instalado à 600 metros de distância do local monitorado por eles e mesmo assim contava com alta qualidade, fornecendo em tempo real todos os dados necessários aos criminosos para driblar a fiscalização naquele local.

A existência do equipamento foi descoberta dentro das investigações da Operação Saúva deflagrada na manhã desta terça-feira (16).

As investigações, iniciadas em 2017, pela Polícia Federal, com apoio da PRF, demonstraram a existência de cinco núcleos criminosos que atuam no transporte de mercadorias ilícitas na região.

A Operação conta com o apoio de cerca de 60 policiais federais, cumprindo 25 mandados judiciais, expedidos pela 3ª. Vara Federal de Foz do Iguaçu, sendo 15 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão preventiva, nas cidades de Foz do Iguaçu, Céu Azul e Santa Terezinha do Itaipu.

Fonte: Catve





Comentários
Compartilhe!