fbpx
Região 

Travessia do Rio Piquiri com balsa é retomada em Campina da Lagoa

Depois de três anos e meio, a travessia por balsa no Rio Piquiri, entre os municípios de Campina da Lagoa e Guaraniaçu voltou a ser feita com o funcionamento da Balsa Zé Moreno. A embarcação, que substitui a antiga que naufragou em 2016, está no local desde julho do ano passado graças a iniciativa da prefeitura de Campina da Lagoa, em parceria com o governo do Estado.

Na cerimônia de inauguração da balsa, o prefeito de Campina da Lagoa, Milton Luiz Alves, ressaltou que o investimento foi de R$ 615,5 mil, dos quais  R$ 505,5 mil do governo do estado e R$ 109,9 mil do município. Além do prefeito, a primeira travessia teve a presença de vereadores, secretários municipais, funcionários públicos, empresários e moradores da região.

Poderão fazer uso da balsa cargas máximas por eixo de 6 toneladas, 10 toneladas para eixo simples com rodagem dupla e 17 toneladas para eixo duplo com rodagem dupla, de acordo com as regras do Contran. “Cargas superiores poderão afetar a estrutura da embarcação podendo ocasionar acidentes”, explicou o prefeito.

A outra balsa que fazia a travessia naugrafou em julho de 2016, ao transportar um caminhão carregado com milho. Desde então os moradores, especialmente produtores rurais, vinham fazendo a travessia improvisada, com barcos e botes, já que não há outra estrada que ligue as duas cidades. 

Além da balsa no Rio Piquiri, na região da Comcam a ligação entre os municípios de Barbosa Ferraz e Godoy Moreira também pode ser feita por balsa sobre o Rio Corumbataí. Pela embarcação, pouco mais de 20 quilômetros dividem a sede de um município do outro. Já pela rodovia, a distância passa de 70 quilômetros.

Fonte: Tribuna do Interior

Compartilhe!