Casos de dengue sobem para 128,4 mil no Paraná

Casos de dengue sobem para 128,4 mil no Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde segue em alerta para o combate à dengue. O boletim divulgado nesta quarta-feira (22) confirma 128.405 casos da doença no Paraná. Mais seis mortes foram registradas em relação à semana anterior. Desde o início do monitoramento, em julho de 2019, são 111 mortes causadas pela dengue.

O secretário estadual da Saúde Beto Preto ressalta a necessidade da eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, já que 90% dos focos estão nos domicílios, em áreas internas e externas. Por isso, a participação da população neste combate é tão importante.

De acordo com ele, a dengue não pode ser renegada em função do coronavírus. Beto Preto destaca que o mosquito transmissor continua se proliferando, as pessoas estão se infectando e morrendo, e tudo diante de um quadro que pode ser minimizado com a eliminação dos focos. “Já comprovamos que a remoção mecânica reduz a taxa de incidência. Fizemos este tipo de ação em mais de 60 municípios que apresentaram diminuição na curva epidemiológica, por isso ressaltamos a importância da participação da população no combate”, disse.

ÓBITOS – Dos seis óbitos confirmados no boletim desta quarta, dois são de residentes do município de Cambé. Um homem de 81 anos sem comorbidade associada, e uma mulher de 71 anos, também sem registro de doença crônica associada.

Outras duas mortes foram confirmadas no Norte do Estado. Uma mulher de 63 anos, sem doença pré-existente, moradora do município de Primeiro de Maio, e uma mulher de 68 anos, portadora de hipertensão, moradora de Alvorada do Sul.

Outros óbitos foram de Marechal Cândido Rondon, uma mulher de 87 anos, com hipertensão e insuficiência cardíaca, e de Rondon, um homem de 57 anos que apresentava hipertensão e insuficiência renal crônica.

DADOS – O número de casos confirmados de dengue aumentou em 11,94% em relação ao último boletim. Na semana anterior eram 114.711 mil e agora são 128.405 – uma diferença de 13.694.

Dados comparativos de abril de 2019 apontam que nesta mesma semana do ano passado Paraná tinha 4.308 casos confirmados. “Atribuímos este grande aumento à maior circulação do sorotipo 2 do vírus da doença, situação que não ocorria desde 2008”, explica a coordenadora de Vigilância Ambiental da secretaria, Ivana Belmonte

O Estado tem 203 municípios em epidemia de dengue. Oito passaram para este patamar nesta semana: Pérola D´Oeste, Céu Azul, Espigão Alto do Iguaçu, Mamborê, Francisco Alves, Iporã, Rancho Alegre e Carlópolis.

Outros 30 municípios estão em situação de alerta, sete deles a partir deste informe: Paranaguá, Palmital, Cruzeiros do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Catanduvas, Arapongas e Ortigueira.

CHIKUNGUNYA – O boletim semanal da secretaria de Estado da Saúde registra um novo caso de chikungunya no município de Marialva, na região Noroeste. Trata-se de uma mulher que esteve em janeiro na Bahia, onde contraiu a doença que também é transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti. A paciente está bem e segue com acompanhamento médico.

Agora são cinco casos de chikungunya neste período no Paraná, todos importados, adquiridos em outros estados.

A zika, outra doença transmitida pelo mesmo mosquito, mantém quatro casos confirmados no Estado. Três são autóctones e um caso é importado.