84% dos servidores que aparecem em lista podem ter recebido auxílio emergencial automaticamente

84% dos servidores que aparecem em lista podem ter recebido auxílio emergencial automaticamente

“Cerca de 84% dos servidores públicos que receberam o auxilio emergencial no valor de R$ 600,00 do Governo Federal, “podem ter tido os valores creditados em suas contas sem solicitar o mesmo. Levantamento do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) e a Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que 559 servidores públicos de 24 prefeituras da Comcam podem ter recebido ilegalmente o “coronavoucher”. No entanto, 424 destes receberam pelo Cadastro Único, 46 pelo programa ““Bolsa Família” e apenas 89 fizeram o pedido pela internet.

A coordenadora do Cadastro Único da Secretaria de Ação Social de Campo Mourão, Thais Cristina Radeki, reforçou a hipótese de que muitos podem ter recebido o auxílio automaticamente por estarem no CadÚnico. O problema, é que estes servidores tiveram seus nomes e CPFS expostos. Uma lista com os dados daqueles que supostamente teriam recebido vazou nas redes sociais.

Eles estão sendo desmoralizados pela opinião pública.


“O governo analisa os dados do cadastro único e consta se a pessoa esta
empregada ou não, pode ter ocorrido situações de a renda per capta ter dado abaixo do considerado do teto para recebimento do auxílio”, falou, ao explicar que o Cadastro Único dá acesso a inúmeros benefícios.

O valor recebido indevidamente foi de R$ 391 mil. Somente em Campo Mourão, são 128 pessoas, que vão de estagiários a professores e aposentados, que podem ter recebido um total de R$ 91,8 mil.
Em Campo Mourão, de acordo com os dados do TCE, os valores foram depositados indevidamente na conta de 128 servidores, 57 estagiários; 47 aposentados; e 24 funcionários da ativa, entre auxiliares de enfermagem, professores, cozinheira, recepcionista de unidade básica de saúde, e auxiliar de serviços gerais.


O prefeito de Campo Mourão, Tauillo Tezelli (Cidania), informou que o município irá notificar todos os que supostamente receberam os valores indevidamente para saber se realmente receberam, porque receberam, se foi automático devido a cadastro antigo, ou se realmente solicitaram o auxílio. “Não podemos generalizar, por isso vamos notificar todos para se explicarem para tomarmos as providências”, falou Tezelli.

Cautela


Na sexta-feira (29), o presidente da Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam), Haroldo Duarte Fernandes, prefeito de Ubiratã, divulgou nota oficial, pedindo cautela na divulgação das informações. Segundo a entidade, a maior parte dos servidores públicos municipais beneficiados com o auxílio financeiro integra o quadro de inativos e pensionistas, e muitos sequer cadastraram seus nomes no aplicativo da Caixa Econômica, que permite acesso ao recurso.

“São nomes que, na maior parte das vezes, e de forma automática, são incluídos na lista. Outra significante parte é composta por pessoas inscritas em cadastros sociais de baixa renda familiar”, informa a nota. “Todavia, a divulgação de listas com nomes dos beneficiários não leva em consideração tais particularidades e provoca situações constrangedoras em quem tem o direito assegurado ao benefício, e sequer pode expor contraditório”, acrescentou o documento.

Ainda segundo o presidente, aqueles que agiram de má fé devem ser rigorosamente alvos de sindicância interna e responsabilizados por conduta vedada.